5 de dezembro de 2020
Modelos de planilhas e conteúdos sobre gestão empresarial

É comum dizerem por aí que os brasileiros são criativos e, por isso, naturalmente empreendedores. No entanto, é preciso bem mais que criatividade para encarar uma crise sem precedentes como a que estamos vivendo, desde a chegada da pandemia de COVID-19.

Em um cenário aterrador, que resultou no fechamento de grande parte dos comércios e obrigou a esmagadora maioria dos prestadores de serviços a interromper suas atividades, restam muitas dúvidas. Se acaso já mencionamos as possibilidades de aderir ao delivery, drive-thru, ecommerce para o varejo. É fundamental pensar em soluções também para os prestadores de serviços. E é sobre este tema que falaremos neste artigo.

Como as empresas Prestadoras de Serviços estão se reinventando para enfrentar as adversidades de uma crise sem previsão de término?

Voucher pós-quarentena

Nesta imagem apresentamos um exemplo de voucher que pode ser utilizado por restaurantes.

Primeiramente, conhecendo o seu público e as necessidades dessa persona, se você é prestador de serviços, é possível adotar essa estratégia que está funcionando muito bem para empreendedores do paraibanos.

Destaque nos jornais da região, alguns prestadores de serviço da Paraíba encontraram nos vouchers pós-quarentena uma forma inteligente de manter suas empresas ativas, sem deixar o caixa cair no vermelho.

A ideia é, basicamente, criar cupons de desconto referentes a quaisquer serviços a ser prestados após o término da quarentena. Com isso a economia não deixa de funcionar, a empresa consegue arcar com os custos de manutenção do negócio e o cliente se beneficia com um desconto nessa contratação.

E qual o melhor e mais seguro lugar para essa comercialização? A internet!

Muitas empresas que não se sentem prontas para criar sua própria loja virtual, estão anunciando seus serviços nas redes sociais e estreitando a relação com os clientes através de canais como o WhatsApp, Direct do Instagram ou mesmo por e-mail.

Mas atenção! Realize o correto manejo destas vendas e o agendamento da realização dos serviços para não se atrapalhar com prazos e entregas, além do planejamento financeiro para as semanas após o término do isolamento social.

Plataforma para vender serviços

Inegavelmente a internet tem muito a oferecer para todos os tipos de negócio! Exemplo disso são as plataformas criadas nas últimas semanas para reunir pequenas empresas com a finalidade de anunciar e comercializar os seus serviços.

A Plataforma Eu Festa, por exemplo, cadastra gratuitamente prestadores de serviços do segmento de comemorações, desde doceiras, equipe de recreação, decoradores, fotógrafos e isso está para muito além de crise gerada pelo Coronavírus. Gerar praticidade a quem contrata e reduzir custos a quem anuncia representa um grande passo rumo a uma nova maneira de pensar os negócios no Brasil.

Outro fator importante quanto à Eu Festa é que poderão anunciar tanto aqueles que já possuem CNPJ, como micro empreendedores que ainda estão iniciando ramo, ainda informalmente!

Tele-atendimento médico e psicológico

Por fim, vamos falar sobre esta que é uma estratégia controversa, mas que diante do quadro atual, tem sido uma alternativa segura para profissionais da saúde e pacientes.

A telemedicina ou medicina à distância tem adeptos e opiniões contrárias, mas a verdade é que em meio ao isolamento social previsto a estender-se por mais algumas semanas, profissionais de diferentes especialidades estão aderindo a essa forma de atendimento. Seja via WhatsApp ou vídeo-conferência por Zoom, Hangouts ou Skype, médicos e psicólogos estão liberados a realizar teleatendimentos.

Esta é uma via de mão dupla. De um lado, temos profissionais prestadores de serviços que precisam manter sua renda. Em contrapartida, temos os pacientes que não estarão desassistidos mesmo em meio à pandemia.

E então, alguma destas estratégias funciona para o seu tipo de negócio? E na sua região, há alguma ideia inovadora sendo implementada para auxiliar os prestadores de serviços? Escreva para a gente!

Até a próxima!

Show Full Content
Anterior Linhas de crédito para micro e pequenas empresas: são um bom negócio?
Próximo O caixa de 70% das PME’s não tinha reservas para enfrentar a crise: e o seu?
Fechar

Próximo conteúdo

Fechar

Gestão de CRM: a tecnologia como ferramenta de Fidelização de Clientes

15 de fevereiro de 2019
Fechar