21 de novembro de 2019
Modelos de planilhas e conteúdos sobre gestão empresarial

Muita gente que produz conteúdos para empreendedores vai lhe dizer em quê investir, como investir, quais os últimos lançamentos no mercado. Nós mesmos, já escrevemos muito aqui sobre tendências e dicas importantes sobre o que está rolando no universo do E-commerce.

No entanto, é preciso admitir que o comércio eletrônico, apesar de todas as suas vantagens e facilidades, mascara algumas ciladas. É isso mesmo! Não dá para esconder que muitos empreendedores cometem erros tolos e que podem ter grande impacto na gestão de empresas digitais.

Pensando nisso, criamos este artigo. Nele, compartilhamos o TOP 5 dos erros cometidos em E-commerce e, claro, como você pode evitá-los! Fique atento e confira!

Não faça isso!

1. Ter um site ruim, pesado ou não responsivo

Com sites otimizados, o índice de abandono de carrinho é muito menor, o que impacta diretamente os resultados financeiros.

Não adianta, você pode ter os melhores produtos, ter estoque, capital de giro, processos bem alinhados. Pode contar com o melhor sistema de gestão. Mas com um site de difícil navegabilidade, não há como vender bem.

Em um momento em que há tantas possibilidades, tanta oferta, é necessário destacar-se nos detalhes. Portanto, ter um site responsivo, otimizado para navegação através de dispositivos móveis é imprescindível.

Imagine que você quer comprar um tênis de corrida. Qual a sua primeira atitude? Pegar o celular e dar um Google em: tênis de corrida. Não é mesmo? Ainda nesse exemplo, pensemos que você encontrou uma foto de um tênis que achou interessante. Clicou nela, mas entrou em um site lento, desorganizado e acabou desistindo de pesquisar o tênis nessa página porque as fotos nem carregam. Por incrível que pareça, esse tipo de acontecimento é muito comum. E assim como no nosso exemplo, consumidor nenhum quer ficar perdendo tempo em sua busca.

Entenda: seus clientes querem facilidade e dinamicidade!

Se acaso você ainda não está financeiramente pronto para investir em seu próprio site, totalmente responsivo, nossa dia é apostar nos marketplaces. Assim, uma empresa gigante já cuida de todas as otimizações necessárias. Logo, sua única preocupação é manter seus anúncios sempre bem feitos e bem claros. Além disso, não esqueça de sempre responder as perguntas dos usuários. Afinal, eles são seus potenciais clientes!

2. Acreditar que não precisa de Marketing

Criar estratégias de marketing é fundamental, independente do seu segmento!

Essa já não é mais nem um dica, é um puxão de orelha! Empreendedor que acredita que marketing no e-commerce é desnecessário está fadado e perder vendas. Muitas vendas!

Por certo, você não precisa sair por aí torrando seu dinheirinho suado em toda ferramenta de marketing que vir pela frente.

Pesquise e encontra as ferramentas e métodos que melhor se adequem ao seu público, seu produto e tipo de negócio. Sobretudo, utilize as redes sociais como uma estratégia de marketing valiosa!

Atenção: não deixe de dar uma espiadinha no que os seus principais concorrentes andam fazendo! Isso, com certeza, pode render bons insights.

3. Não cumprir o que promete

Anúncios sinceros e bem articulados, alinhados com a proposta de sua empresa conquistam seu público.

Já falamos aqui diversas vezes sobre anúncios e sobre a qualidade das informações que você deve disponibilizar aos seus potenciais clientes. Evidentemente, seu objetivo é ser atrativo aos olhos dos consumidores. No entanto, em hipótese alguma minta para os seus clientes!

Esse estigma de fraude e de propaganda enganosa foi, por muito tempo, um dos obstáculos a ser enfrentado por lojas virtuais. Muitas pessoas tinham receio de realizar compras online, por medo de ter seus dados utilizados para ações ilícitas, cartão de crédito clonado ou, simplesmente, de pagar por uma mercadoria que nunca chegaria.

Logo, é seu papel como empreendedor trabalhar pela idoneidade do seu negócio. Não cause uma má impressão nos seus potenciais clientes! Se você está anunciando algo como “PAGUE 1, Leve 2”, “50% de Desconto” ou , seja claro na sua proposta. Nada pior que a má-fama de que sua empresa enrola os clientes. A clareza na propaganda ou até mesmo um pedido formal de desculpas podem ser grandes diferenciais para garantir que a confiança na sua empresa não seja abalada.

4. Falta de opções de Pagamento

Proporcione uma experiência de compra ainda mais completa a seus clientes. Diversifique as opções de pagamento.

Atualmente é quase impossível encontrar alguém que não tenha nenhum tipo de cartão (crédito ou débito). Apesar disso, é necessário pensar em democratizar as vendas. Hoje, o mercado de pagamentos já não é mais dominado por duas ou três bandeiras mais famosas.

Dessa forma, é fundamental trabalhar com o máximo possível de opções de pagamento. O que isso significa? Em resumo, dar opções variadas aos seus clientes resulta numa expressiva redução na taxa de abandono de carrinho.

5. Frete caro e problemas com a entrega

Cliente que recebe a entrega dentro do prazo e com condições que cabem no seu bolso tem muito mais chances de voltar a comprar da sua empresa.

Por fim, o frete! Este é um serviço complementar no e-commerce, mas não supérfluo. É preciso dedicar especial atenção a esse serviço, tão ligado à etapa de fechamento do negócio.

Diversos estudos sobre o comércio eletrônico apontam que os consumidores tendem a optar pelas ofertas com frete a baixo custo ou gratuito. Com isso, fique de olho nos valores de frete que sua loja virtual está praticando. Faça uma pesquisa de mercado e trabalhe com empresas de frete que ofereçam o melhor custo benefício. Claro, sem perder a qualidade e segurança na entrega!

E então, você que tem uma loja virtual, já está observando estes pontos? Quais as suas estratégias para ter melhores resultados? Conta pra gente aqui nos comentários. Se quiser seguir lendo sobre dicas para e-commerce, recomendamos a leitura do artigo: Black Friday 2019: tendências de mercado.

Show Full Content
Anterior Novidades de Novembro do SIGE Cloud
Próximo OMNICHANNEL: como isso pode transformar sua empresa
Fechar

Próximo conteúdo

Fechar

Qual a importância do CRM para as vendas da empresa?

25 de março de 2015
Fechar