25 de setembro de 2020
Modelos de planilhas e conteúdos sobre gestão empresarial

A evolução tecnológica tem trazido soluções e melhorias para nossas vidas em diversos aspectos. E isso se aplica também às empresas. Existem várias inovações que facilitam a vida dos gestores — reduzindo custos, aumentando a produtividade, reduzindo a necessidade de trabalhos manuais e, até mesmo, facilitando a tomada de decisões. No que diz respeito à emissão de notas fiscais, uma nova modalidade será obrigatória: a NFC-e.

Quer saber mais? Continue conosco e descubra tudo o que você precisa saber sobre a NFC-e.

O que é?

A NFC-e foi criada para ser um modelo único de documento fiscal em todo o país. Ela irá substituir as emissões de documentos que hoje são gerados em papéis, a emissão de cupons por meio do ECF (Emissor de Cupom Fiscal), bem como a Nota Fiscal de Venda.

Assim, com a implantação da NFC-e, todos os documentos que hoje são gerados em papéis, passam a ser gerados de forma digital, mas sem perder a validade jurídica.

Como fazer a adequação?

Nossa recomendação é que as empresas comecem a se adequar o quanto antes, para que, caso algum risco seja identificado, ele seja mitigado a tempo. Assim, será possível fazer uma transição gradual e tranquila, sem impactar profundamente nas operações da empresa.

O ideal é que a empresa realize uma comparação entre o processo atual e o processo que será implantado após o prazo. Dessa forma será possível identificar detalhadamente quais serão as mudanças necessárias. Além disso, é recomendável que sejam feitos testes com a nova rotina para verificar se o processo já está de acordo com as exigências ou se ainda precisa de ajustes.

Quais são as vantagens da utilização da NFC-e?

Como o processo é feito totalmente via digital, é possível gerar, acessar e visualizar os documentos através de dispositivos móveis — como tablets e celulares, por exemplo. Um dos grandes benefícios é que, com isso, o consumidor também pode receber e visualizar os seus documentos de compra em tempo real.

Outro grande benefício é que, apesar de ser digital, o projeto possibilita que os documentos sejam impressos. E, para realizar essas impressões, não é necessário efetuar homologação de hardware e software, utilizar papel oficial nem impressoras fiscais. Todo o processo pode ser efetuado utilizando computadores, impressoras e papéis comuns.

Além disso, existe outro fator que todos os gestores gostam de mencionar: a redução de custos. Com esse novo programa, a necessidade da utilização de papéis reduz consideravelmente, diminuindo os gastos com o material.

Concluindo

O Governo tem realizado uma série de mudanças que afetam a forma como as empresas realizam seus procedimentos contábeis e fiscais. A NFC-e é uma delas. Essas mudanças fazem com que as empresas tenham que se adequar para agir dentro da legalidade e evitar erros que possam prejudicar as operações da empresa e seus clientes.

E a sua empresa, já está se adequando ao projeto de NFC-e? Compartilhe conosco as suas opiniões sobre o assunto e conte sempre com nossa ajuda!

 

Show Full Content
Anterior Saiba como a internet pode ser sua aliada para aumentar as vendas
Próximo Estou agindo como um líder ou sendo apenas um chefe?

Comentários

Deixe uma resposta

Fechar

Próximo conteúdo

Fechar

Custos com Funcionários: modelo de planilha para cálculo

16 de outubro de 2015
Fechar