21 de janeiro de 2019
Modelos de planilhas e conteúdos sobre gestão empresarial

Não são tantas as empresas que podem se dar ao luxo de perder dinheiro por algum tempo, mas absolutamente nenhuma empresa pode ficar sem dinheiro disponível, não é mesmo? Afinal de contas, sem recursos simplesmente não é possível quitar contas, fazer investimentos ou se sustentar no mercado. E esse é exatamente um dos motivos que levam os gestores a monitorarem e gerenciarem bem de pertinho seu capital de giro. Você sabe o que é isso e por que é tão importante? Então tire suas dúvidas agora mesmo e vire um verdadeiro expert no assunto:

Afinal de contas, o que é o capital de giro?

O capital de giro consiste, basicamente, nos fundos disponíveis para a empresa usar em suas operações comuns do dia a dia. Em termos contabilísticos, o capital de giro é a diferença entre o ativo e o passivo circulantes da organização. A fórmula ajuda a visualizar:

Capital de Giro = Ativo Circulante – Passivo Circulante

Mas o que é ativo circulante? Se você der uma olhada no seu balanço contábil, notará que seu ativo circulante inclui, sobretudo, o dinheiro em caixa, as contas a receber e seu estoque. Já dentro da categoria do passivo circulante você encontrará as contas a pagar, as demais despesas, os títulos a serem quitados e a parte corrente de alguma dívida de longo prazo — como os empréstimos bancários e as linhas de crédito. Nem é tão complicado, não concorda?

Capital de Giro: o que é e por que ele é tão importante?

Por que o capital de giro é importante?

Quando os passivos correntes da empresa são subtraídos dos ativos circulantes atuais, tendo como resultado um número positivo, diz-se que há um capital de giro positivo. Isso significa que a empresa tem capacidade financeira para pagar as dívidas de curto prazo, o que coloca sua organização a bons olhos de investidores e de quaisquer outras partes interessadas. Essa ferramenta se mostra como um bom indicador, portanto, de como seu inventário, os recursos de caixa, as contas a receber e a pagar e estão sendo geridos. Se o capital de giro for negativo, é provável que a empresa não tenha uma boa capacidade de pagamento, o que pode significar que está saindo mais dinheiro do que efetivamente entrando, ou seja, a saúde financeira do negócio não está nada boa. Nesse cenário, além de permitir que a empresa realize suas operações, possibilita a criação de riqueza e o equilíbrio de contas na gestão financeira.

Como avaliar a qualidade do capital de giro?

Mesmo que seu capital de giro se mostre positivo, é importante avaliar sua qualidade, conforme o tipo do negócio e suas estratégias de mercado para o futuro. Se o ativo circulante que predomina em sua empresa for o dinheiro de reserva no banco, pode ser que você precise dinamizar suas operações, a fim de conquistar mais vendas. Mas se o capital de giro está baseado em seus devedores — clientes que ainda não pagaram —, é preciso investir em boas políticas de cobrança e em estratégias para reduzir o tempo médio de arrecadação. Já se o capital de giro está temporariamente imobilizado no inventário, é recomendável aperfeiçoar a gestão dos estoques para prever melhor suas reposições e as demandas.

Ter uma boa noção do capital de giro é importante para qualquer empresa, independentemente de sua dimensão ou das atividades que desenvolve. Essa métrica é um bom indício da saúde do negócio.

Confira também nosso artigo “Perguntas sobre finanças que todo empreendedor deve conhecerclicando aqui.

E então, como está a situação do seu capital de giro atualmente? Sua empresa está sendo bem vista pelos investidores e parceiros de mercado? Comente aqui e compartilhe suas experiências conosco!

Show Full Content
Anterior Conheça 2 maneiras eficientes de calcular o pró-labore
Próximo Qual a diferença entre o pró-labore e a distribuição de lucros?

Comentários

Deixe uma resposta

Fechar

Próximo conteúdo

Fechar

Emissão de pedidos: não perca tempo e nem dinheiro!

25 de julho de 2017
Fechar