Conteúdos práticos e úteis para simplificar a gestão empresarial.

De acordo com o Sebrae, o ponto de equilíbrio ou break-even-point em inglês, é um grande termômetro para a sobrevivência do negócio, e as empresas precisam acompanhá-lo de perto. Em outras palavras, ele é, resumidamente, o que mostra o quanto é necessário vender para que as receitas se igualem aos custos. Da mesma maneira, é quando a venda dos produto é responsável por “pagar” todos os custos e despesas fixas e variáveis.

Nesse sentido, é indicado em que momento, a partir das projeções de vendas do empreendedor, a empresa iguala suas receitas a seus custos. Dessa forma, a possibilidade de prejuízo em sua operação é eliminada.

A fórmula para se calcular é a seguinte:

Ponto de Equilíbrio = (Custo Fixo / (Receita – Custo Variável) X 100

  • Custo fixo: estes custos são sempre iguais, independente da quantidade de vendas da empresa;
  • Receita: entradas de capital que resultam da atividade de uma organização;
  • Custo variável: são aqueles que sofrem alterações, variando conforme a quantidade de vendas realizadas.

Em geral, o indicador é calculado sob a forma de percentual da receita projetada. Por exemplo, um ponto de equilíbrio de 65% para uma receita de R$ 100 mil anuais. Isso indica que a empresa terá eliminado as possibilidades de prejuízo quando tiver atingido o montante de R$ 65 mil em vendas, passando, a partir de então, a acumular lucro. A lógica mostra que, quanto mais baixo for o indicador, menos arriscado é o negócio.

Ponto de Equilíbrio Contábil ou Operacional

Primeiramente, este é o mais comum e tradicional para análises onde o valor das receitas iguala-se ao das despesas. É o resultado simples da divisão dos valores dos custos e despesas fixas pela margem de contribuição unitária. Nessa conta, não haveria lucro e nem prejuízo contábil. Esse, sim, é o momento do “empate”.

Ponto de Equilíbrio Econômico

O ponto de equilíbrio econômico leva em consideração, além dos custos gerados pela própria empresa, o valor do custo da oportunidade do mercado para o capital investido. Sendo assim, se a previsão de receitas da empresa estiver abaixo desse ponto, significa que aplicando o investimento em um mercado financeira obterá um retorno melhor que seu próprio negócio. Seu valor se dá através do cálculo da soma dos custos e despesas fixas com o valor de um lucro mínimo estipulado que atenda às suas próprias exigências.

Sua fórmula de cálculo é:

Ponto de Equilíbrio Econômico = (Custos Fixos + Despesas Fixas) / Índice da Margem de Contribuição

  • Custos fixos: estes custos são sempre iguais, independente da quantidade de vendas da empresa;
  • Despesas fixas: gastos que ocorrem após o processo produtivo do produto;
  • Índice da margem de contribuição: é a diferença entre o preço de venda e a soma dos custos e despesas variáveis.

Ponto de Equilíbrio Financeiro

Em contrapartida, o ponto de equilíbrio financeiro é a quantidade que iguala a receita total com a soma dos custos e despesas que representam desembolso financeiro para empresa. Por exemplo, os encargos de depreciação são excluídos do cálculo por não representarem desembolso para a empresa.

Conclusão

Mesmo que saibamos que quanto mais se venda, mais lucro existe, as vezes por ter maior quantidade de venda, os custos também aumentem. Logo, isso torna o processo mais extenso e há o mesmo retorno. Conclui-se então que esse cálculo analisa a viabilidade de um empreendimento ou a adequação em relação ao mercado.

Viu como não tem mistério? Calculando esses dados você terá uma visão equilibrada da sua organização! Realize os cálculos para a tomada de decisões gerenciais necessárias.

Show Full Content
Anterior TEF ou POS: qual deles sua empresa necessita?
Próximo Conheça a nossa integração e parceria com a Shopify

Comentários

Deixe uma resposta

Fechar

Próximo conteúdo

Fechar

Controle de Vendas: Planilha para Baixar Grátis

14 de março de 2019
Fechar