28 de outubro de 2020
Modelos de planilhas e conteúdos sobre gestão empresarial

No mês de junho, a ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico) divulgou estudo que aponta para dados que chamam a atenção, especialmente dos Micro e Pequenos Empreendedores: entre os meses de março e maio, foram criadas mais de 100 mil lojas virtuais no Brasil.

O que isso quer dizer? Uma nova tendência de comportamento de consumo! Afinal, grande parte da população estava (ou ainda está) em isolamento social. Mas ainda tem demandas de consumo, que precisariam ser supridas de alguma forma. O que explica esse processo acelerado de migração das empresas para o mundo digital.

Sem dúvida, são os consumidores que ditam as regras desse movimento.

Você precisa estar onde os seus clientes estão!

Mas para se diferenciar e sobreviver nesse cenário que vem se configurando, é preciso bem mais que uma simples loja virtual. Como o título deste artigo sugere: Não é só estar “de repente” no mundo digital.

E é sobre isso que vamos falar aqui, levantando questões importantes para traçar novas estratégias de ação, gestão e marketing, especialmente para as pequenas empresas.

Confira!

O que é o novo normal para as pequenas empresas?

Nas propagandas, nas notícias e até os memes falam em novo normal, uma nova configuração de realidade pós-pandemia.

Mas vamos voltar um pouco no tempo e pensar na ideia de o que é o normal, quando o assunto são micro e pequenas empresas.

Você que é empreendedor ou empreendedora, sabe que o normal das pequenas empresa no Brasil é o movimento, é a tentativa constante de se adaptar, de conquistar espaço, de conquistar novos clientes, de fechar bons negócios, de tentar oferecer o seu produto ou serviço com valores e condições de pagamento mais competitivas. O normal para o pequeno negócio é sobreviver aos custos básicos e à uma pesada carga tributária para poder lucrar e crescer!

Trazendo essa discussão para o “novo normal”, em um mundo em que os consumidores, em sua esmagadora maioria aderiram às compras online, o novo desafio das micro e pequenas empresas é migrar também para o virtual. Mas será que basta só criar uma loja virtual e magicamente a sua empresa dá certo?

Claro que não! Fazendo uma busca simples no Google já dá para perceber que há uma infinidade de lojas virtuais, mesmo as pequenas, de todos os segmentos: minimercado, hortifruti, roupas, calçados, lanches, autopeças, produtos de higiene e limpeza.

É nessas horas que você precisa pensar em estratégias para se estabelecer e se destacar nesse outro espaço que é uma loja virtual.

1. Não abandone totalmente a sua loja física

Antes de mais nada é fundamental entender que você não vai abandonar permanentemente a sua loja física. Todo o seu investimento em um ponto comercial, em uma loja física bem posicionada no mercado não serão dinheiro perdido.

É provável que neste momento você esteja com fluxo reduzido, ou mesmo com a loja fechada. No entanto, por incrível que pareça, a quarentena não vai durar para sempre! E a sua loja física pode continuar dando lucro. Sobretudo se você tiver ferramentas e uma postura de trabalhar integrando a loja física com a loja virtual. Desse modo, você expande o seu público e seus canais de atendimento, de forma organizada. Por isso batemos tanto na tecla da estratégia!

2. Entenda como os seus clientes se comunicam e como a sua empresa pode estar à disposição para atendê-los

Sabe quando uma empresa tem perfil no Facebook ou no Instagram, mas não responde as interações ou não inclui os dados de contato direto com o cliente? Pois é… Muitas empresas têm receio do empreendedorismo digital por acreditarem que é uma febre passageira e seus clientes não irão aderir a esse formato de negócio a longo prazo. Porém, 2020 está provando o contrário.

Por isso, antes mesmo de apostar em ser multicanal ou omnichannel, tenha em mente que é necessário se fazer presente nesses espaços, dando retorno para os clientes e a mesma atenção que você daria em sua loja física.

Aproveite as ferramentas disponíveis no mercado para facilitar o acompanhamento dessas interações, muitos sistemas permitem gerenciar em uma só tela interações vindas de diferentes canais. Por exemplo, tendo uma conta Starter do SIGE Lite, você pode em uma só conta ter a sua Loja Virtual, gerenciar a Loja Física, anunciar e responder seus clientes advindos do Mercado Livre ou da B2W Marketplace. Esse tipo de tecnologia atua como sua aliada para estar em diversas frentes, simplificando as suas atividades.

3. Marketing e atendimento humanizado, mesmo no digital

Sem dúvida alguma, vendas são relacionamentos. Parece uma redundância dizer que atender bem um cliente é uma necessidade, um fator preponderante para elevar os resultados das vendas. Ocorre que mesmo na atualidade, muitas empresas ainda não aderiram a uma cultura de humanização, de enxergar no prospect ou lead, uma pessoa. E isso, se aplica tanto para quem trabalha com outras empresas (B2B), como para quem lida com o consumidor final (B2C).

Nesse sentido, a nossa principal dica para empreender focado em resultados aliando loja virtual e loja física é: atendimento humanizado.

E quando falamos em humanizado não é uma contradição com a inteligência artificial, com a tecnologia. Ao contrário, é utilizar os recursos tecnológicos como aliados de uma comunicação voltada para as pessoas, uma comunicação que demonstre que a sua marca escuta o que o cliente quer e oferece caminhos para atender suas necessidades.

E então, gostou desse rápido conteúdo? A sua empresa já está no mundo digital? Quais canais você utiliza para interagir e impactar seu público? Escreva para a gente!

Até a próxima! 😉

Show Full Content
Anterior Relatórios Financeiros: como as informações certas podem transformar o seu negócio
Próximo Como aplicar o conceito de Omnichannel em Pequenas Empresas?
Fechar

Próximo conteúdo

Fechar

5 Dicas para fazer a sua empresa crescer

1 de fevereiro de 2019
Fechar