21 de novembro de 2019
Modelos de planilhas e conteúdos sobre gestão empresarial

Tão comuns em todas as cidades, os mercadinhos de bairro voltaram com tudo nos últimos anos.

Contrariando a forte tendência dos anos 1990 e 2000, das grandes redes de super e hipermercados. Agora, ao nos aproximarmos de 2020 a tendência que chega para ficar são os mercadinhos de bairro.

Mas a que se deve esse movimento? Se há tantos comércios neste ramo, este ainda é um bom negócio? Com redes supermercadistas de peso como Pão de Açúcar, Carrefour, Extra e Zaffari, será que vale a pena enfrentar tamanha concorrência?

Foi pensando em responder estas questões e, ainda, compartilhar dicas – caso você decida embarcar nesta ideia – que criamos este artigo. Ficou curioso? Siga lendo e confira!

Mercadinhos de bairro apostam em seus diferenciais

Antes de mais nada, pense na sua infância, no mercadinho da esquina ou naquela loja ou fruteira que você ia com seus pais, onde ganhava alguma guloseima e os poucos funcionários de lá chamavam você pelo nome. Boas lembranças, não é mesmo?

Pois é justamente essa afetividade e proximidade da clientela que faz com que os mercadinhos de bairro se destaquem das grandes marcas. A aposta em um atendimento personalizado e ágil é a grande sacada desse tipo de negócio.

O proprietário

Geralmente, minimercados, mercearias, fruteiras e outros pequenos negócios de bairro são comandados pelo proprietário. Nesse sentido, essa presença cria uma sensação de confiança maior no estabelecimento.

Além disso, nada melhor que contar com conhecidos que sabem seus gostos, avisam quando os produtos que você costuma comprar chegaram. Ou simplesmente, onde é possível bater um bom papo com vendedores que já se tornaram amigos da família.

Entre os anos de 2014 e 2018, só no estado de São Paulo, foram abertos mais de 10 mil estabelecimentos conhecidos como mercadinhos de bairro. Este número representa um crescimento de mais de 60% em tão somente 4 anos.

O mix de produtos

Nesse sentido, uma das apostas destes empreendedores é adotar um mix de produtos simplificado e alinhado aos costumes de consumo e compra da sua persona. Analogamente, umas grande facilidade que tem sido vista é através do investimento em recursos tecnológicos que facilitem a compra e proporcionem uma experiência ainda mais agradável.

Os recursos tecnológicos

Por exemplo, temos os famosos aplicativos de preços e ofertas do dia, feira online, avisos de chegada de encomendas… Há diversas formas de aproximar-se ainda mais desse público que quer realmente algo mais descomplicado e humanizado.

Em resumo, se você está pensando em abrir um mercadinho de bairro, saiba que as oportunidades de sucesso são promissoras! Mas lembre-se que não se faz mais gestão como antigamente, contar com soluções tecnológicas é primordial para que seu negócio esteja alinhado às demandas de um mercado altamente competitivo, complementando a leveza das memórias afetivas e do atendimento de qualidade.

E para o que precisar, conte com o nosso Sistema ERP Gratuito para Lojas, o SIGE Lite. Com ele você cadastra produtos e clientes, realiza vendas em um PDV completo e fácil de manejar, controla estoque e muito mais.

Show Full Content
Anterior Como criar uma empresa de Pequenos Reparos Residenciais
Próximo Churn Rate: o que é e como trabalhá-lo para sua empresa crescer
Fechar

Próximo conteúdo

Fechar

Computação em Nuvem: conheça todas as vantagens

8 de fevereiro de 2016
Fechar