24 de março de 2019
Modelos de planilhas e conteúdos sobre gestão empresarial

São freqüentes os casos em que o colaborador fica na empresa além de seu expediente, pois não conseguiu realizar todas as tarefas no horário normal de trabalho. E quando isso acontece, a dúvida surge para o empregador e para o empregado, sobre o que é melhor: banco de horas ou hora extra. Mas o que cada uma dessas opções realmente representa? É isso que vamos responder neste artigo, identificando os prós e contras de cada um.

O que são horas extras?

As horas extras pagas representam a prorrogação do horário normal de trabalho, que é de 8 horas diárias ou 44 horas semanais. Nestas condições, o funcionário recebe o valor pago pelas horas adicionais trabalhadas junto ao pagamento de seu salário.

A hora extra é um direito do trabalhador, garantido pela Constituição Federal de 1988. Ela prevê que cada hora adicional deverá ser paga pelo adicional mínimo de 50% sobre o valor da hora normal. Lembrando que esta porcentagem poderá ser aumentada se houver um acordo entre empregador e empregado, mas ela nunca poderá ser diminuída. Além disso, a Constituição ainda prevê que o limite máximo de horas extras diárias é de 2 horas.

Prós e contras da hora extra

No momento de definir qual o tipo de controle que será adotado na empresa, devem ser observados os seguintes quesitos:

Prós

  • Para o trabalhador: a principal vantagem é financeira, pois o valor das horas extras será recebido ao final de cada mês, sendo assim um considerável aumento no salário.
  • Para a empresa: já para a empresa, esta opção é uma garantia de que não haverá problemas trabalhistas futuros, pois o aumento das horas trabalhadas é autorizado por lei.

Contras

  • Para o trabalhador: todas as faltas do funcionário deverão ser justificadas, pois as faltas sem justificativa são descontadas das horas normais de trabalho e não das horas extras.
  • Para a empresa: não será possível flexibilizar o uso da mão de obra de acordo com a sua necessidade ou demanda.

Qual a diferença entre hora extra e banco de horas?

E o que é o banco de horas?

Diferente das horas extras, que é feita por prorrogação, o banco de horas é a compensação das horas adicionais trabalhadas. No banco de horas, as horas adicionais trabalhadas são creditadas e deste somatório serão descontados os períodos de folga.

O banco de horas é uma exceção autorizada pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Ele será utilizado quando houver um acordo coletivo entre a empresa e sindicato da categoria em questão. Quando este acordo é firmado, deverá ser apontado qual será o tipo de compensação utilizado:

  • Compensação aberta: as horas serão acumuladas, sem que o colaborador saiba quando terá seu dia de folga.
  • Compensação fechada: já nesta opção, o gestor e o funcionário negociam um dia especifico em que a folga do empregador irá ocorrer.

Nesta opção também se deve observar o limite das horas compensadas. Elas devem ser distribuídas ao longo da semana, respeitando também o limite de 2 horas adicionais diárias.

Prós e contras do banco de horas

Novamente existem alguns quesitos que devem ser observados no momento de escolher este tipo de controle:

Prós

  • Para o trabalhador: será possível ter folgas além das autorizadas por lei, para serem descontadas do seu banco de horas. Esta compensação deverá ocorrer em até 12 meses.
  • Para a empresa: a principal vantagem é a capacidade da mão de obra utilizada, principalmente quando a empresa possuir produção sazonal. Ou seja, utilizar sua capacidade produtividade máxima quando a demanda for alta e depois oferecer folga aos funcionários quando a demanda estiver baixa.

Contras

  • Para o trabalhador: neste caso, o funcionário poderá trabalhar o ano todo sem aproveitar sua folga e não ser remunerado pelas horas extras trabalhadas.
  • Para a empresa: quando ocorrer má gestão e as horas não forem contabilizadas corretamente, a empresa poderá encarar processos trabalhistas, que muitas vezes são mais caros do que o pagamento das horas extras.

Qual a melhor opção?

Depois de apresentadas às duas alternativas, muitos empreendedores ainda podem se questionar sobre qual é a melhor opção de escolha. Existem vários fatores que irão influenciar nesta decisão, para então definir qual é mais vantajosa para cada caso. Para alguns, a produtividade aumenta se os funcionários têm uma boa qualidade de vida além de contar com mais flexibilidade para resolver questões pessoais, defendendo assim a adoção do banco de horas. Em contrapartida, para algumas empresas a produtividade será melhor com o pagamento de horas extras, pois a motivação do funcionário está no salário recebido.

Para mais artigos sobre folha de pagamento e salários clique aqui.

Desta forma, não podemos afirmar qual a melhor ou pior opção, pois isto dependerá do controle preferido por cada empresa. Se você ainda tiver alguma dúvida ou dicas para compartilhar com outros empreendedores, utilize os comentários!

Show Full Content
Anterior Entenda o User Experience e como aproveitar na empresa
Próximo Simulação de Investimentos: modelo de planilha Excel

Comentários

Deixe uma resposta

Fechar

Próximo conteúdo

Fechar

Gráfico de Despesas: modelo Excel para download

6 de outubro de 2016
Fechar