24 de março de 2019
Modelos de planilhas e conteúdos sobre gestão empresarial

Como a economia brasileira vem enfrentando um cenário um tanto quanto turbulento, prudência é palavra de ordem para empresários dos mais variados setores e portes. Inflação, alta do dólar e crise política são só alguns dos fantasmas que assombram e transformam o dia a dia dos negócios nacionais. Assim, cortar gastos não é mais uma mera opção, virou obrigação.

Nesse contexto, o mais importante é determinar o que pode efetivamente ser cortado, já que, às vezes, eliminar um custo não significa necessariamente um ganho para a empresa. Afinal de contas, uma escolha feita precipitada e equivocadamente pode acarretar outros custos ou até uma enorme insatisfação interna.

Como cortar gastos nunca é tarefa das mais fáceis, além de precisar de bastante tato no momento da comunicação dos cortes, faz-se necessário também estudar com o devido cuidado o que pode ser mexido para que sua equipe de funcionários realmente perceba que a medida será boa para a empresa.

Medidas simples e práticas, que requerem poucas mudanças de comportamento ao mesmo tempo em que agregam valores — como cuidados com o meio ambiente, por exemplo —, podem ser implantadas sem grandes traumas. Mas que medidas são essas?

Confira a seguir algumas valiosas dicas para colocar em prática na sua empresa e cortar gastos desde já:

1 – Economize água e luz

A crise hídrica despertou as pessoas para a urgente necessidade da economia de água e energia para evitar um possível racionamento e o esgotamento desse valiosíssimo recurso. Que tal então começar a economizar água no ambiente de trabalho?

Desligar as luzes se não houver ninguém no local, utilizar a iluminação natural na maior parte do tempo, desligar monitores na hora do almoço e fechar as torneiras enquanto não estão sendo usadas já são medidas eficazes e extremamente fáceis de serem implantadas. Você ainda pode optar por reutilizar a água da chuva na limpeza e instalar sensores de presença para otimizar o uso da luz elétrica. Está é uma forma consciente de cortar gastos presentes em todas as empresas.

2 – Corte o uso do papel

Evitar a impressão de documentos e e-mails é, hoje em dia, uma medida necessária em qualquer empresa. Utilize a nuvem como forma de compartilhar documentos, planilhas e arquivos, eliminando a necessidade de manter pastas e mais pastas para guardar papéis. Se necessário, incentive a instalação de aplicativos em celulares e tablets que permitam o acesso aos documentos fora do escritório, assim não há a necessidade de imprimir e levar papéis para fora da empresa.

Vale ressaltar que a redução da necessidade de impressões também gera economia na compra e recarga de cartuchos, nas eventuais manutenções das impressoras e até em energia!

3 – Considere a terceirização

Alguns serviços podem tranquilamente ser repassados para empresas terceirizadas — caso da manutenção, da limpeza e da segurança, por exemplo. Para tomar essa decisão você deve colocar os gastos na ponta do lápis: por quanto sairia contratar especialistas externos no assunto versus quanto custaria contratar e treinar funcionários para desenvolverem tal função? Em muitos casos, terceirizar é uma forma de cortar gastos!

4 – Avalie planos de telefone e internet

Esses serviços precisam ser muito bem pesquisados. Na avaliação dos planos corporativos, o empresário deve detalhar suas principais necessidades: uso em viagem (roaming), troca de mensagens, internet fora do escritório, ligações locais, interurbanos e assim por diante. Com base nesse levantamento, será possível escolher a oferta, que melhor se encaixa na nova realidade da empresa.

Não se entusiasme com mimos, como celulares de última geração ou descontos em lojas, já que o importante mesmo é que o plano, no final das contas, gere economia. Vale ressaltar também que, caso seu plano com a operadora seja de longa data, é sempre recomendável, de tempos em tempos, reavaliar valores e serviços de acordo com as mudanças do mercado. O plano ainda atende bem suas demandas? O preço está de acordo com a média atual? Quem sabe uma renegociação não possa cortar gastos na empresa?

5 – Cordene as compras

Com a prática de ter vários departamentos fazendo compras separadamente, a tendência é que acabe se gastando mais, pois o estoque não é coordenado e os preços tendem a ser mais altos quando os produtos não são adquiridos em maiores quantidades — normalmente o desconto é proporcional à quantidade de artigos no orçamento de compras. Por isso é simplesmente fundamental centralizar seu setor de estoque e compras, para que assim cortar gastos sem prejudicar nenhum setor.

6 – Aumente a concorrência

No momento de definir o orçamento e o quanto deverá ser comprado de cada produto, faça uma concorrência externa. A prática comum é trabalhar com três orçamentos, mas, dependendo do produto e da oferta, a empresa pode ampliar esse leque até conseguir uma oferta satisfatória!

Além disso, vale a pena trocar os responsáveis pelas compras, promovendo uma espécie de rodízio interno, já que, com o tempo, as relações comerciais tendem a se tornar amigáveis, o que não é favorável a uma negociação mais firme de valores ou a cobrança de prazos, por exemplo.

7 – Fique de olho nos contratos

Negocie valores, reposições e fidelidade. E tome bastante cuidado com aquelas renovações automáticas de contratos, pois normalmente as condições do mercado e as necessidades da própria empresa podem mudar no final do acordo. Além disso, estas renegociações podem cortar gastos da empresa no longo prazo.

Agora comente aqui e nos conte: sua empresa vem adotando medidas para cortas gastos recentemente? Tem outras sugestões para dar e enriquecer nosso post? Compartilhe suas experiências e impressões conosco!

Show Full Content
Anterior Valuation: como descobrir quanto vale a sua empresa
Próximo 6 ferramentas na nuvem indispensáveis para empreendedores

Comentários

Deixe uma resposta

Fechar

Próximo conteúdo

Fechar

Novidades da versão 2.0.38 do SIGE Cloud

27 de agosto de 2018
Fechar