30 de setembro de 2020
Modelos de planilhas e conteúdos sobre gestão empresarial

Certamente você já deve ter ouvido falar em empresas como a XP investimentos, Rico, Empiricus, etc. Esse tipo de empresa, apesar de não atuar em um nicho de negócio novo, teve um boom no mercado somente a partir da última década.

Com o auxílio de um marketing altamente elaborado e com atuação de guerrilha, cada dia mais empresas de consultoria de investimentos ganham destaque no cenário nacional. Logo, a popularização do mercado de capital gera interesse e muitas dúvidas.

Pensando em desmistificar algumas questões ligadas a esse ramo, criamos este artigo. Nele esclarecemos as principais dúvidas levantadas por quem tem a própria empresa e está pensando em empreender na bolsa de valores. Afinal, não são apenas as grandes corporações que podem disponibilizar ações no mercado de capitais. Confira!

Pequenas empresas também podem abrir capital na bolsa?

Se acaso você deseja aumentar o número de sócios ou angariar mais investimentos para expandir seu negócio, um caminho que pode transformar os rumos da sua empresa é abrir o capital dela na bolsa de valores.

Mas se você está pensando que colocar sua empresa na bolsa é só receber investimentos. Saiba que esse mercado tem muito mais a oferecer. A partir do momento que as ações são adquiridas, o comprador passa a ser seu sócio e, via de regra, esse novo sócio traz consigo novos conhecimentos e uma visão de fora da empresa, o que permite analisar possíveis erros e propor soluções inovadores. Coisas que alguém que está totalmente imerso e envolvido com o empreendimento, as vezes não consegue enxergar com clareza.

Nesse sentido, muito se engana quem acha que somente as empresas gigantes podem abrir seu capital. Afinal, as empresas de pequeno e médio porte são as que mais têm a ganhar com este tipo de estratégia comercial.

Quer saber quais os passos para disponibilizar as ações da sua empresa na bolsa de valores? Fique atento às nossas dicas!

Quais os passos para minha empresa ter ações na bolsa?

Registrar o IPO

Antes de mais nada, é preciso cumprir o IPO (Initial Public Offering). Esse procedimento diz respeito à oferta das ações da sua empresa ao público externo.

Para fazer o registro do IPO na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e na Bovespa, é necessário ingressar com alguns trâmites legais. Mas que trâmites são esses? A realização de balanços financeiros e uma auditoria completa. Esse processo burocrático tem a finalidade de garantir que a saúde financeira da sua empresa está em dia, deixando claro a quem tem interesse em investir que o seu negócio realmente vale a pena.

Avaliação de Bancos e Fundos de Investimentos

Posteriormente, bancos e corretoras de valores farão uma avaliação completa da sua empresa, a fim de aferir o valor do seu capital. Sem dúvida, essa avaliação é a etapa mais importante. Pois é graças a ela que sua empresa ganha visibilidade, podendo ser indicada a diversos potenciais acionistas.

De acordo com uma pesquisa realizada pelas maiores referências em análise de mercado, a Deloitte e o Instituto Brasileiro de Relações com Investidores (IBRI), mais de 40% das pequenas e médias empresas brasileiras têm o interesse em abrir seu capital. Em contrapartida, não o fazem por falta de conhecimento e pela burocracia e necessidade de total transparência nas informações para conseguir realizar o registro do IPO.

Relacionar-se com os investidores

Ademais das etapas burocráticas, uma vez aberto o capital da sua empresa, é necessário preparar-se para estabelecer uma relação com os investidores. Afinal, eles serão os seus novos sócios. E cada novo acionista precisará de informações precisas de onde está sendo investido o seu dinheiro.

Portanto, uma medida fundamental a ser tomada é a organização de uma equipe ou um setor que absorva essas demandas. Tornando a interação com os investidores sempre clara, objetiva e abrindo a possibilidade de prospectar mais sócios.

Qual segmento de listagem devo escolher?

Passada a primeira parte dos cadastros, procedimentos burocráticos e organização interna, é chegado o momento de definir através de qual segmento as suas ações serão negociadas. 

Nesse sentido, os chamados Segmentos de Listagem, (como por exemplo: Bovespa Mais, Bovespa Mais Nível 2, Novo Mercado, Nível 2 e Nível 1) foram criados para atender determinados tipos de negócios, cada qual com as suas regras de governança corporativa.

Estes segmentos, por sua vez, apresentam diferentes formas de demonstrar suas informações financeiras e de constituírem os conselhos administrativos das empresas. Por fim, a decisão de atuar em determinado segmento, será fruto de um estudo macro entre a gestão atual e as estimativas de crescimento/expansão do negócio.

E então, você está disposto a começar? Saiba que muitas empresas desistem do processo, por não contar com clareza no gerenciamento de suas operações desde o princípio do negócio. É nesse ponto que um Sistema de Gestão Empresarial – ERP, robusto, completo e que centralize todos os lançamentos, financeiros, fiscais, receitas, relatórios e movimentos em uma interface objetiva e moderna, pode ser transformador na hora de ingressar no mercado de capital.

Por isso, se você está pensando em lançar-se na bolsa de valores, saiba que contar com um Software como SIGE Cloud pode ser o primeiro passo para o sucesso da sua empresa.

Clique no botão abaixo e conheça os benefícios de contar com essa poderosa ferramenta.

Show Full Content
Anterior Novidades de Dezembro do SIGE Cloud
Próximo Como fazer o fluxo de caixa da sua empresa: planilha para download
Fechar

Próximo conteúdo

Fechar

Conheça o comportamento adequado de um bom chefe

1 de fevereiro de 2016
Fechar