27 de outubro de 2020
Modelos de planilhas e conteúdos sobre gestão empresarial

Na era em que a tecnologia é responsável por grande parte das ações nas nossas vidas, inclusive quando se trata de rotina empresarial, há algo importante que precisa ser relembrado:

Empresas são feitas por pessoas e para pessoas.

Assim, mais que nunca, criar equipes de qualidade e desenvolver em seus colaboradores potencialidades capazes de motivá-los em prol do crescimento da empresa, aliado ao seu crescimento humano, tem sido um grande desafio.

Mas como fazer tudo isso se eu tenho uma micro ou pequena empresa?

Se os processos de recrutamento e seleção desafiam as grandes corporações. Imagine, então, para uma PME. Sem equipe de RH e sem contratar uma terceirizada para reunir potenciais candidatos para a função, o processo seletivo das pequenas empresas é ainda mais assustador.

Além das horas de trabalho despendidas tentando encontrar a pessoa certa, quando você não tem métricas e objetivos claros, realizar uma seleção pode ser um pesadelo. Até porque o único parâmetro será a opinião de quem entrevista. Se na sua empresa, é só você quem faz o recrutamento e as entrevistas, é bem provável que os candidatos sejam avaliados por parâmetros reduzidos. Afinal, não há um processo, é apenas “sentir se o santo bateu ou não”. Sem dúvida esse não é um critério confiável a longo prazo.

Foi pensando nestas questões que desenvolvemos este artigo. Nele abordamos as melhores estratégias, perguntas e pontos de análise que devem ser utilizados na busca da melhor equipe que a sua empresa poderia ter.

Lembre-se: bons colaboradores, preparados, motivados e, realmente, vestindo a camisa da empresa, são sim um grande diferencial para a consolidação de sua empresa ou marca.

1. Quem você quer do seu lado?

Sem dúvida, para qualquer empresário, o seu negócio é um bem precioso. Você dedicou boa parte da sua vida e do seu dinheiro para construir sua empresa e levá-la até onde ela está. Não é mesmo?

Foram dias e noites trabalhando para arquitetar a sua independência financeira e um negócio que deve andar de vento em popa.

Assim, nada mais lógico que querer encontrar as pessoas certas para ajudarem você a impulsionar o crescimento da sua empresa. Por isso, é fundamental desenhar o perfil da vaga e considerar uma série de fatores na hora de pensar em contratação. Nós criamos uma pequena lista de perguntas que você deve se fazer, essas respostas irão lhe ajudar a arquitetar o seu processo seletivo:

  • Há algum conhecimento acadêmico necessário para preencher a vaga?
  • É necessário ter experiência na função ou você está disposto a ensinar alguém?
  • Quais competências emocionais e comportamentais você considera imprescindíveis para que uma pessoa trabalhe na sua empresa?

Lembrando que essas são questões amplas e servem para pensar o recrutamento e seleção em qualquer segmento.

2. Não importa o quanto você está precisando, não contrate desesperadamente!

Esse tipo atitude é muito comum e regularmente acaba sendo nociva para o seu negócio. Para tudo na vida, quando você está desesperado não pensa com clareza e pode opter por pessoas que não são propriamente adequadas à vaga. Nesse sentido é necessário ter muito cuidado quando são contratados familiares, amigos ou pessoas que foram indicadas pelos seus conhecidos.

Esse tipo de intimidade produz um efeito muito ruim, que é i fato de a pessoa achar que tem tantos direitos na empresa quanto você, que é gestor ou proprietário.

Outro problemão no momento de selecionar um novo colaborador é utilizar o tempo de entrevista para falar sobre si, sobre a sua empresa ou sobre seus clientes. Primeiramente, porque você não é o foco da ação. Em segundo lugar, porque um bom candidato precisa ter, minimamente, se preparado para a entrevista, tendo ao menos buscado informações básicas sobre a empresa. Isso é perspicácia e pró-atividade, características importantíssimas para que essa pessoa agregue valor à sua empresa e à sua equipe.

3. Cada caso é um caso.

Por isso é tão importante construir um perfil de quem você quer ter na sua equipe.

Esse título parece não dizer muito. No entanto a ideia que queremos passar é que dependendo do setor onde essa pessoa for alocada, as capacidades emocionais e comportamentais irão variar, assim como o nível de conhecimento ou formação acadêmica.

Por exemplo, o setor de teleatendimento ao cliente precisa ser composto por pessoas bastante pacientes, com bom domínio de língua portuguesa e muito gentis. Sobretudo, tele-atendentes precisam ser capazes de solucionar problemas com rapidez!

Em contrapartida, as exigências para ocupar uma vaga contábil dentro da empresa são diferentes. É necessário maior destreza com números, tributações, conhecimento de legislação fiscal e de procedimentos complexos que exigem certa experiência e formação acadêmica.

Por isso, é bastante importante que recrutamento e seleção sejam compostos por etapas. Em uma única conversa é pouco provável que você consiga identificar todas as competências necessárias para que tal profissional ocupe uma vaga em seu empreendimento.

Lembre-se que não estamos nos referindo a um grupo de pessoas que temporariamente trabalhará para você. Estamos discutindo como identificar potencial em candidatos que serão um time. Que serão equipe certa para produzir alta performance, impulsionando os resultados do seu negócio.

4. Não minta ou omita informações no processo seletivo!

Você concorda que a primeira impressão é a que fica? Imagine como você se sentiria se mentissem para você sobre o que fará durante 40h semanais? Ou se lhe dissessem que seu trabalho é de segunda a sexta… mas, de repente, depois de contratado, você descobre que isso não era verdade?

Evite transtornos e problemas futuros, tenha uma postura transparente desde o primeiro contato.

Por certo, essa dica deve ser seguida à risca: não minta para os seus futuros companheiros de trabalho.

Apresente a vaga e todas as informações pertinentes sem omitir nenhum dados. Pense que este é o momento em que está se iniciando uma relação. Se ele for honesta, tende a ser duradoura. E isso é bom para você, para a sua empresa, para os seus clientes e, claro, para o colaborador.

Se acaso você achar necessário, faça uma “cola” com todas as informações, para não esquecer de apresentar muito bem a vaga.

3 Perguntas certeiras para fazer na entrevista de emprego

Use a entrevista a seu favor, analise não apenas as respostas faladas ou escritas, esteja atento à linguagem corporal.

Fale um pouco sobre a sua trajetória na empresa anterior?
Ao ser perguntado sobre essa questão é possível que o candidato dê várias indícios sobre o seu comportamento. Não só positivos, como também negativos.

Fique atento ao modo como ele fala da antiga empresa e das atividades que exercia. Essa postura será fundamental para entender o comportamento do futuro membro da sua equipe.

O que seu antigo chefe diria sobre você?
Essa pergunta é certeira. Possivelmente muitos se sentirão incomodados com o questionamento. No entanto, é fundamental abordar esta temática, especialmente para entender de que forma esse candidato lida com hierarquia, ou seja, com os seus superiores.

Como você se imagina daqui um ano?
Muitos dirão que essa pergunta é meio boba ou sem fundamento. O que ocorre é que você precisa conhecer os objetivos da pessoa selecionada para identificar se ela se imagina construindo uma carreira dentro da sua empresa. Ou então, se apenas está se candidatando à vaga porque precisa de dinheiro agora.

E então, gostou deste conteúdo? Quer saber mais sobre Recursos Humanos? Recomendamos a leitura do artigo: 7 passos para controlar o RH da sua empresa: planilha para download.

Show Full Content
Anterior Como reduzir os custos da sua empresa em 2020
Próximo SEGREDO REVELADO: Entenda porque você pode estar perdendo clientes
Fechar

Próximo conteúdo

Fechar

Tipo de Estoque: conheça os principais e como gerenciá-los

18 de agosto de 2016
Fechar