14 de dezembro de 2019
Modelos de planilhas e conteúdos sobre gestão empresarial

Pesquise rapidamente no Google “Como abrir meu próprio negócio” e, em menos de um segundo, milhares de resultados aparecerão. Isso denota que, cada vez mais, as pessoas ao redor do mundo estão buscando colocar em prática suas ideias e indo atrás de um estilo diferenciado de trabalho e, por que não, de vida.

Mas uma coisa é o mundo das ideias e o outro mundo da realidade, quando a ideia se depara com mercado, concorrência, sistemas financeiros e jurídicos, recursos humanos etc. O caminho para o sucesso pode ser bloqueado pela ausência de preparação ou de um correto gerenciamento com base em cenários previsíveis.

Por isso, a melhor ponte entre esses “dois mundos” inclui estruturar um modelo de negócios que vise o futuro da empresa, antevendo situações comuns aos que vivem o dia a dia empresarial.

Canvas: a melhor bússola para o seu negócio

Um modelo de negócios pode ser resumido como a maneira como a empresa pretende criar valor e entregá-lo ao cliente, de forma a gerar renda.

Muita gente o confunde com fontes de receita, mas o modelo de negócio é mais amplo, pois considera a definição do perfil do cliente, os problemas que ele tem, como o produto ou serviço pode solucionar esses problemas e, somente depois, como você irá faturar com isso.

Esse processo de estruturação não precisa ser longo e detalhado, e ajuda muito se você contar com uma ferramenta para nortear o caminho. Atualmente a melhor “bússola” do mercado é o Canvas, bastante eficiente para definir o modelo de negócios de uma empresa ou de qualquer outro projeto que você quiser implementar.

Essa ferramenta pode ser entendida como um mapa simples, que permite mostrar visualmente os principais aspectos a serem considerados ao trazer a ideia de empresa para o “mundo real”.

O Canvas não substitui o plano de negócios (PN), mas é bem mais simples para o dia a dia, além de ser flexível o suficiente para suportar quantas alterações forem necessárias.

As nove partes do Canvas

maxresdefault

O Canvas é dividido em blocos que ilustram todos os aspectos relacionados ao negócio, além de ser o ponto de princípio da análise de hipóteses. As nove partes desse modelo são:

  1. Segmentos de clientes: onde você irá traçar o perfil do público a quem seu negócio se destina.
  2. Proposta de valor: onde você definirá quais problemas de seu público o seu negócio irá resolver.
  3. Canais: meios que você utilizará para se relacionar com o seu público.
  4. Relacionamento com o consumidor: aqui você estabelece o tipo de relacionamento entre a empresa e o cliente e como isso pode interferir no modelo de negócios.
  5. Fontes de lucro: o valor a ser pago e como será pago.
  6. Recursos pontuais: quais são os recursos imprescindíveis para seu projeto sair do papel.
  7. Atividades necessárias: quais as ações imprescindíveis para seu projeto sair do papel.
  8. Parcerias: quais parcerias serão necessárias para por em prática sua proposta de valor.
  9. Custos: quais custos requerem todos os pontos anteriores.

Concluindo

O Canvas é uma excelente ferramenta para a diferenciação do seu negócio no mercado. Quando preenchido e difundido entre todos os funcionários da empresa, permite uma visão completa do negócio e incentiva a reflexão sobre o negócio.

Mesmo empresas maduras podem se aproveitar desse modelo de negócio para entender melhor como seus setores interagem e inovar em seus processos.

E você, já utilizou a análise Canvas no seu negócio? Compartilhe conosco suas experiências e impressões através dos comentários!

Show Full Content
Anterior Planilha de Controle de Estoque: modelo Excel para download
Próximo Motivar os funcionários: veja como com estas dicas especiais

Comentários

Deixe uma resposta

Fechar

Próximo conteúdo

Fechar

O que é Gestão de Serviços?

30 de janeiro de 2019
Fechar