16 de julho de 2019
Modelos de planilhas e conteúdos sobre gestão empresarial

O plano de negócios reúne todas as informações inerentes à empresa e oferece suporte ao gestor para a tomada de decisões importantes, informando sobre indicadores de controle e orientando sobre objetivos de curto, médio e longo prazos.

Mas como elaborar um plano de negócios minucioso? O que esse documento deve conter? Foi pensando nessas possíveis dúvidas que resolvemos elaborar o post de hoje! Quer saber mais? Então confira:

O que é o plano de negócios?

O plano de negócios é um documento utilizado para planejar um empreendimento — que esteja iniciando ou até que já esteja consolidado — com o propósito de definir suas estratégias para o futuro. Ele descreve quais são os objetivos do negócio e o que deverá ser feito para efetivamente alcançar essas metas.

Ou seja, por meio do plano de negócios, os principais objetivos são definidos, além de os processos e as etapas serem planejados. Assim o empreendedor consegue ter uma visão melhor — a curto, médio e longo prazos — de como será o desenvolvimento real da empresa.

Como montar um plano de negócios?

Na hora da efetiva montagem do plano de negócios, é preciso cumprir algumas etapas, como:

1 – Informações do negócio

Inicialmente, devem ser descritas as informações principais do negócio: o que é, quem são os sócios e quais são suas atribuições, quais serão os principais produtos ou serviços comercializados, quem serão os clientes, onde a empresa ficará localizada, qual será o capital empregado, qual é a previsão de faturamento mensal, que lucro se espera obter com o negócio e em quanto tempo se espera que o capital investido comece a dar retorno.

2 – Apresentação da empresa

Nessa parte devem ser informados os dados do empreendimento: o nome da empresa, seu CNPJ, qual é o setor de atuação, sua forma jurídica — sociedade simples, sociedade empresarial, empresário individual e assim por diante —, qual será o enquadramento tributário — pode ser regime simples ou regime normal —, o valor do capital inicial e qual é a contribuição de cada sócio.

3 – Descrição dos produtos ou serviços

Aqui deve-se descrever os produtos a serem vendidos ou os serviços que serão prestados. No caso de produtos, informe características como tamanho, modelo, marca, cor, sabor e outras, enquanto, no caso de serviços, descreva os serviços em si e as garantias oferecidas.

4 – Estudo sobre os clientes

Procure conhecer seus clientes! Qual é sua faixa etária média, se são mais homens ou mulheres, sua faixa de renda mensal e nível de escolaridade já são informações que contribuem para identificar acertadamente o público-alvo. Nessa etapa você será capaz de entender e identificar seu mercado consumidor a fim de direcionar melhor as campanhas de vendas e os produtos ou serviços que serão oferecidos.

5 – Pesquisa da concorrência

É muito importante identificar quais são seus principais concorrentes e examinar tanto seus pontos fortes como os fracos. Acredite: simplesmente observando o método de trabalho e os resultados dos concorrentes já é possível aprender diversas lições.

6 – Avaliação dos fornecedores

Pesquise e defina quais serão seus fornecedores, avaliando preços, qualidade, condições de pagamento e de entrega. Essas informações serão extremamente úteis para saber quais fornecedores melhor se adequarão ao seu modelo de negócio.

7 – Métodos de comercialização

Agora é hora de descrever por meio de quais canais — vendedores, representantes e lojas on-line, por exemplo — seus produtos ou serviços chegarão aos clientes. É possível escolher mais de um canal, ok?

8 – Funcionamento do negócio

Aqui você deve identificar qual é a melhor localização para operar seu negócio, justificando a escolha do local, apontando o layout — distribuição dos setores e dos produtos —, a capacidade produtiva, o processo de produção e comercialização, se existe a necessidade de contratação de mão de obra extra e quantas pessoas serão necessárias.

9 – Plano financeiro

Nessa etapa é preciso informar o total de recursos investidos para que a empresa comece a funcionar. Lembrando que entre esses recursos estão equipamentos, máquinas e móveis — recursos fixos —, capital de giro — investimento financeiro — e gastos com taxas de registro da empresa e até reforma de imóvel — investimentos pré-operacionais.

Além disso, também deve-se incluir a estimativa de faturamento mensal da empresa, a previsão de custos com matéria-prima, uma apuração do custo dos materiais, de comercialização — gastos com impostos e comissão de vendedores, por exemplo —, estimativa de custos com mão de obra, de depreciação — desgaste de máquinas e equipamentos —, dos custos fixos mensais — energia, aluguel e salários. Assim que todas as informações estiverem reunidas, será possível prever o resultado da empresa.

Com todas essas informações, você será capaz de saber quais são os possíveis pontos de melhoria e se é viável — ou não — manter o negócio. Então o que ainda está esperando? Compartilhe suas experiências e dicas conosco!

Show Full Content
Anterior Como estruturar os processos de faturamento da empresa
Próximo Faturamento: dicas infalíveis para receber parcelas em dia
Fechar

Próximo conteúdo

Fechar

Dicas e ações que todo RH deveria fazer na empresa

9 de abril de 2018
Fechar